Quando surge uma nova rede social, a Internet enche-se de promessas e deixa as empresas cheias de esperança que esta se transforme imediatamente num aumento de vendas ou contactos. A verdade é que uma abordagem precipitada das Redes Sociais vai originar um retorno muito limitado.

Aceito quando os clientes me pedem para estar em mais redes para ter uma maior exposição online. Aceito... mas não concordo! A presença numa rede social deve ter sempre por base metas concretas e uma estratégia bem delineada de como alcançar essa mesma meta. Será que uma marca com o seu target definido para senhoras com mais de 35 anos deveria apostar no Snapchat ou no Twitter? Talvez não.

Sabiam que 69% dos portugueses segue marcas nas redes sociais (Marktest, 2015)? Uma abordagem pensada e bem estruturada pode levar-vos ao top of mind do vosso target.  

 

os_portugueses_e_redes_sociais-600x196

Fonte: Marktest: “Os Portugueses e as Redes Sociais”, 2015

Sem uma estratégia de Redes Sociais, definida através de objetivos quantificáveis e realistas, é ainda mais difícil ver resultados. Até porque quando uma marca entra nas Redes Sociais, é frequente que veja um crescimento muito rápido mas que depois estagna ao longo do tempo.

O primeiro passo é sempre perguntar:

“Porque é que a minha empresa precisa das Redes Sociais?”

Sabem a resposta? Óptimo, vamos continuar então.

 

Definir Metas Reais

O primeiro passo é definir objetivos para a presença em cada uma das redes. Vamos estabelecer um número de, no mínimo, 5 metas a alcançar (podem ser mais, mas não aconselho a que sejam menos, pois vamos ter uma abordagem descuidada do potencial da rede). Quer seja aumentar 1.000 seguidores em 3 meses ou duplicar as vendas a partir da rede, o importante é que sejam objectivos quantificáveis e realistas.

É imperativo ter uma monitorização diária do caminho que a página está a fazer para chegar ao seu objetivo. O gestor de redes sociais deve ter, todos os meses, algumas horas para refletir sobre o assunto, para que possa medir e analisar, assim como ajustar as expectativas consoante os resultados obtidos.

Quando temos dados à nossa frente, é mais fácil encontrar o rumo certo.

Construir uma Estratégia

O primeiro passo é identificar um objectivo geral (quer seja, aumentar as visitas o website ou notoriedade de marca). O segundo passo é localizar onde está o nosso consumidor ideal (através da demografia dos utilizadores e se estão ou não presentes na rede). O terceiro passo é encontrar a plataforma que combina esses dois objectivos da melhor forma, dando uma oportunidade à marca de alcançar os seus objectivos junto do seu target.

Esquematizando:

  1. Definir objetivo geral;
  2. Definir target ideal;
  3. Definir plataforma(s) ideal para alcançar o objetivo junto do target.

A partir daqui temos de nos focar em criar uma abordagem forte e consistente, a chamada Estratégia de Redes Sociais. 

sweet_spot_das_marcas 

Fonte: Think with Google

Elementos da Estratégia

Na vossa estratégia de redes sociais, garantam que os seguintes dados estão presentes:
  • Objetivos gerais da presença nas redes;
  • Redes em que a minha marca vai estar presente;
  • Objetivos específicos para cada uma das redes;
  • Definição personificada do target que desejamos alcançar;
  • Táticas para cumprir os objetivos ao longo do tempo;
  • Métricas a monitorizar em cada uma das redes.

Temos de ter em conta que cada indivíduo está sujeito a um número inquantificável de estímulos e que isso requer um esforço muito grande por parte de uma marca para se destacar no meio do ruído.

O mito do crescimento orgânico

Antes de terminar este artigo, quero desmistificar a noção de alcance orgânico: O investimento em redes sociais não é 100% gratuito. Para além do tempo que é requerido, um orçamento mensal para publicidade em redes sociais é obrigatório para uma marca. No Facebook, por exemplo, estima-se que apenas 6% dos nossos seguidores vejam os nossos posts.

E os restantes? Como falamos com eles? Chega um momento em que o engagement orgânico não é suficiente.

Temos de pensar que uma rede social é uma empresa, com ambições e metas, tal como a nossa. Na prática, isso significa que vão ter de encontrar um modelo de negócio que lhes dê um lucro sustentável. Na maior parte dos casos, isso significa apostar em grande escala em vender espaço para anúncios.

Para além do Facebook, temos como exemplo o Pinterest, o Twitter, o LinkedIn e, recentemente, o Snapchat. Todas estas redes lançaram a sua plataforma nativa de anúncios e não devemos descurar o seu potencial. Incluam sempre os anúncios, assim como o orçamento a investir, nas ações táticas a incluir no plano estratégico da vossa empresa.

QUERO SABER MAIS SOBRE REDES SOCIAIS »