O desempenho do seu website é uma componente base muito importante, pois é por norma o núcleo de toda a sua estratégia de Search Engine Optimization.

Sabia que há uma métrica analítica do seu website denominada de taxa de rejeição responsável por classificar a sua estratégia digital de sucesso ou de insucesso?

QUERO SABER MAIS SOBRE SEO »

 

Compreender a taxa de rejeição melhora a sua estratégia de comunicação digital

Para quem está a dar os primeiros passos nesta área do digital ou procura atualização de conhecimento, preparamos um guia que responde às questões mais frequentes:

  • Uma taxa de rejeição próxima dos 100% é boa ou má?
  • Significa o mesmo que um email devolvido?
  • Qual é a real relevância desta métrica?

Para desmistificar estas e outras dúvidas, explicamos detalhadamente tudo o que precisa saber sobre este indicador.

desempenho-website

O que é a taxa de rejeição?

A taxa de rejeição do seu website corresponde à percentagem de utilizadores que assim que entram na sua página saem quase de imediato, sem navegar para além da página em que se encontram.

 

Taxa de saída e de rejeição são iguais?

A taxa de rejeição não é o mesmo que a taxa de saída. Este primeiro indicador apenas avalia as visitas que não passam de uma única página. Já a taxa de saída considera outros parâmetros, pois avalia o percurso do utilizador até ao momento em que deixa o website, o que pode acontecer após navegar por algumas páginas.

Por isso, embora seja útil comparar as estatísticas de ambas, a mais importante é a taxa de rejeição. Esta vai permitir auferir as potenciais razões para que o seu website não esteja a captar o interesse da sua audiência e ainda dar-lhe pistas sobre o que tem que corrigir para melhorar as suas conversões.

 

É possível reduzir uma taxa de rejeição?

baixar-taxa-rejeicao

Sim, claro que sim, felizmente no Marketing Digital quando tudo é mensurável tudo é otimizável.

Se uma ou mais páginas web registam uma elevada taxa de rejeição é porque o utilizador a(s) considera irrelevante(s), desinteressante(s) ou simplesmente pouco atrativa(s). É hora de tomar algumas decisões para que o utilizador fique interessado em navegar no website e chegar às áreas de conversão, como por exemplo: registo/ formulários/pedidos de encomenda/ orçamentos, entre outros.

 

O que é uma taxa de rejeição máxima aceitável?

Depende sempre da plataforma online em análise. De acordo com diversos estudos são taxas de abandono aceitáveis as seguintes:

  • Páginas de serviços - entre 10 e 30%
  • Websites de ecommerce – entre 20 e 40%
  • Páginas de conteúdo – entre 40 a 60%
  • Landing pages – entre 70 e 90%
  • Blogs – entre 70 e 98%

Agora pense connosco. Será que uma visita vinda de um link de um blog ou publicidade externos gera uma maior ou menor taxa de rejeição quando comparada com uma visita vinda de uma pesquisa orgânica?

As estatísticas dizem-nos que sempre que o utilizador está ativamente à procura de soluções idênticas à nossa e encontra o nosso website, investirá mais tempo a explorá-lo (logo visualiza mais páginas) do que quando o utilizador se cruza com o website por acaso enquanto navega na internet, seja numa rede social ou num post de blog cujo tema se associa de alguma forma ao nosso.

Como tudo, temos de analisar os dados, por isso vá ao Google™Analytics e compare os diferentes valores. O que não vai de todo querer é que a sua taxa de rejeição seja maior em visitantes que provêm de pesquisas diretas, orgânicas ou pagas comparativamente com visitas que provêm de banners de publicidade, links em blogs ou redes sociais.

6 simples passos para dar cabo da taxa de rejeição

Para descortinar o que estará por detrás de uma elevada taxa de rejeição terá que analisar outras métricas, igualmente importantes e tomar medidas práticas.

Verifique se o seu Website é “mobile enemy”:

Um website, um blogue ou uma landing page têm que ser compatíveis com os diversos dispositivos móveis e adaptar-se automaticamente às suas dimensões e características. Navegar no seu website deverá ser uma experiência envolvente, dinâmica e interativa, perfeita em cada smartphone, tablet ou computador.

website-mobile-enemy

Aceda ao seu Google™ Analytics e veja quantas pessoas acedem ao seu website por cada tipologia de dispositivo e em seguida compare as taxas de rejeição.

O que acha que está a acontecer se a sua taxa média de rejeição for por exemplo de 40% nos acessos via desktop e de 80% nos dispositivos móveis? Pois bem, o seu website não se está a portar lá muito bem nos equipamentos móveis, agora que descobriu uma pontinha do véu, vá diretamente ao problema e resolva-o!

 

Melhore a velocidade do seu website

Pode parecer um indicador óbvio mas nem sempre é passível de ser otimizado. Ainda assim partilhamos consigo alguns dados curiosos:

Em média um utilizador está disposto a esperar 3 segundos para o carregamento de uma página, o tempo vai diminuindo com a utilização de equipamentos móveis. Em média um utilizador cria uma 1ª impressão do website em apenas 0,5 segundos, o que significa que se o seu website vai abrindo aos solavancos...já era!

Rápido e leve esse é o truque para um website com boas taxas de adesão, mas isso pode implicar que abdique de animações engraçadas e comprometa a interatividade da sua página. Achamos que é um compromisso justo que deve mesmo fazer se a sua taxa de rejeição estiver alta.

 

Compare a taxa de rejeição mediante diferentes fontes de tráfego:

fontes-trafego

 

Sabia que há várias formas de obter visitas no seu website? Para ter uma ideia há dezenas de fontes diferentes de tráfego online, listamos algumas:

Email Marketing – como sendo newsletters, emails promocionais ou email automation;

Referral – como sendo links em banners publicitários em websites externos ou publicação de posts de blogue em blogs externos ou até mesmo simples menções do seu website em posts de bloggers;

Pesquisa orgânica - o utilizador recorre aos motores de pesquisa, e através da inserção de palavras-chave encontra o seu website na parte orgânica de resultados;

Pesquisa paga - o utilizador faz uma pesquisa nos motores de pesquisa, como o Google™ e clica num dos resultados pagos (Google™ AdWords) acedendo assim ao seu website.

Redes Sociais – como sendo o Facebook, o Google+, o Youtube, o Linkedin ou o Instagram. Em qualquer uma destas redes sociais e muitas outras existentes no mercado, pode e deve publicar posts que façam link para uma ou mais páginas do web site. É mais uma forma de obter tráfego

Direta – o utilizador escreve o endereço da sua página web diretamente no seu browser. Quanto maior for este tráfego maior expressão terá o seu website no digital! Este tipo de tráfego ocorre normalmente quando o seu website já é conhecido do seu público-alvo, ou o utilizador visita pela 2ª ou 3ª vez o seu website tendo já memorizado o seu url.

 

Identifique todas as possíveis ratoeiras que prejudicam a experiência do visitante no seu website

experiencia-utilizador-website

Claramente que o interesse da maioria dos webmasters não é encurralar os seus utilizadores assim que aterram na 1ª página, e com isso afastando-os do seu website. Um website deve servir o seu propósito que normalmente é gerar conversões, encomendas ou até mesmo vendas.

Mas por vezes há pop-ups que preenchem o ecrã, com uma mensagem desadequada e que interrompem a boa experiência de utilização da página. Claramente podem ser uma fonte de abandono precoce da página.

Por isso, se é fã de pop-ups esmerece-se para transmitir uma excelente mensagem sempre adequada à página respetiva e meça de imediato a taxa de rejeição nas páginas que têm pop-ups, comparando-a com páginas que não têm pop-ups.

Por outro lado, está muito na moda colocar um icon de chat ou icons de social share sempre visíveis numa lateral do website, para que o utilizador saiba que a qualquer altura pode contactar com o webmaster ou partilhar a página nas suas redes.

Se resulta? Sim pode ser muito produtivo MAS não numa versão mobile, pois sobrepõe-se ao conteúdo e estraga toda uma potencial boa experiência de navegação. Novamente, como tudo implemente e meça, se não resultar, MUDE.

 

Defina e otimize as melhores palavras-chave para o seu website

Escolha expressões-chave que se relacionam diretamente e sem qualquer dúvida com o que pretende comunicar ou vender no seu website. Sempre que possível adapte-se para que as expressões a otimizar no seu website tenham muitas pesquisas mensais nos motores de pesquisa. Assim conseguirá levar mais e melhores pessoas ao seu website, diminuindo a probabilidade de rejeição.

 

Otimize os seus conteúdos. A sua página tem de ser simples, funcional e atrativa

  • Coloque os conteúdos mais interessantes no topo das páginas;
  • A sua mensagem inicial tem de ser óbvia, por isso reescreva-a até sentir que qualquer pessoa se sente motivada com ela;
  • Organize os seus conteúdos de forma clara com hierarquias definidas (H1, H2, H3,...);
  • Adorne as páginas com imagens, vídeos e infográficos INTERESSANTES e VALIOSOS. Esqueça imagens bonitas, ou acrescentam valor ou saem fora.

 

Redobre a sua atenção na taxa de rejeição de cada página do seu website!

A melhor forma de descobrir os motivos por detrás da taxa de rejeição é através de uma avaliação global da página, via ferramenta analítica como o Google™ Analytics. Tal permite estabelecer padrões de comportamento de erro e tomar medidas para corrigir estas falhas.

Como pôde ler neste artigo há diferentes formas de apurar o que está na origem de elevadas taxas de rejeição (tipologia de dispositivo, fonte do tráfego, palavras-chave), mas sobretudo há também ações diretas que ajudam a diminuir o abandono precoce do website.

Tire proveito de toda esta informação e bom sucesso!

QUERO SABER MAIS SOBRE SEO »