Qualquer planeamento de criação de websites tem de incluir as chamadas landing pages.

Estas são as páginas de entrada (não necessariamente a homepage/página inicial do website), através das quais o visitante consegue absorver de imediato a proposta de valor e explorar o website depois de clicar, por exemplo, num anúncio patrocinado do Google™ ou num resultado de pesquisa orgânico também no Google™.

Aliás, as landing pages têm tanta relevância que muitos profissionais de publicidade e Marketing Digital acreditam que uma campanha de marketing digital seja ela com base em anúncios AdWords ou SEO (Search Engine Optimization) nunca se pode iniciar sem este tipo de páginas

landing-pages.jpg

 

Criar um website = criar várias Landing Pages?

Sim, um website não é mais do que um conjunto integrado de landing pages desenvolvidas com apenas um objetivo em mente - a conversão. E esta conversão poderá ser:

  • Converter um visitante numa potencial lead
  • Converter uma potencial lead num comprador

Depois de traçados os objetivos para cada página do website, basta seguir alguns passos básicos para que seja possível contar com landing pages que convertam, ou seja, que transformem visitantes em ávidos consumidores do seu produto ou serviço.

Por exemplo, torna-se importante fixar uma expressão-chave para o sucesso de qualquer landing page: quick win.

Em vez de se dispersar em abordagens complexas, siga esta lógica: uma página, um objetivo.

Logo, simplicidade é uma qualidade essencial na construção de landing pages: é obrigatório que se foque apenas numa única ação, sem que haja lugar para qualquer tipo de distração, o que pode confundir os utilizadores e afastá-los das páginas.

Ao seguir esta norma na criação de websites, não há enganos: os níveis de conversão irão aumentar.

QUERO UM WEBSITE QUE TRAGA MAIS LEADS E VENDAS »

 

Como adaptar uma Landing Page ao público-alvo?

Eis outra etapa fundamental: definir e conhecer o público-alvo.

É que preparar landing pages para utilizadores mais velhos é bastante diferente de criá-las para utilizadores mais jovens. Afinal de contas, a diferentes faixas etárias correspondem diferentes expectativas, necessidades e hábitos de consumo digital.

Classifique o seu público-alvo para cada tipo de produto ou serviço que pretende promover nas suas landing pages, conheça os seus hábitos e tendências de páginas que gostam e que visitam. Replique o conceito nas suas landing pages.

adaptar-LP-ao-target.jpg

 

Quais são as principais regras de uma boa Landing Page?

Uma qualquer boa landing page que tenha como objetivo converter, seja utilizadores em leads ou leads em consumidores, deve conter uma linguagem clara, explícita e muito resumida. Sem grandes truques, floreados, grandes frases e explicações.

Se o seu objetivo for vender diretamente através da sua landing page, então o conteúdo deve ser informativo mas consideravelmente comercial. Se o seu objetivo for educar o consumidor e passá-lo de visitante para lead/contacto, então o conteúdo deve ser pouco ou nada comercial e mais informativo.

Independente do seu objetivo, não há nada melhor do que apresentar o produto ou serviço de forma objetiva, enumerando cada uma das suas vantagens competitivas, recorrendo a bullets, que esquematizam todos esses benefícios. As listas chamam mesmo a atenção até aos olhos dos utilizadores mais dispersos.

Mas vamos analisar as 5 principais regras para seduzir os seus potenciais consumidores numa landing page.


1ª regra: Identificar os pain points do seu potencial cliente

Pense no seguinte. Quando vai procurar por um determinado produto ou serviço, é porque tem atualmente um problema. Certo?

Então a primeira informação que pretende encontrar numa página há-de ser a resposta imediata ao seu problema. Chamemos ao seu problema um “pain point”. Agora foque-se na resolução desse pain point.

Mostre que o seu produto ou serviço é claramente uma boa solução (não necessariamente a melhor). Organize as vantagens em listas com bullets. Seja ZERO comercial e 100% honesto.


2ª regra: Mostre o seu Social Proof

Agora pense no seguinte. A vender produtos/serviços similares ao que encontrou nessa landing page que está a ver atualmente, há possivelmente centenas de outras empresas, certo? Como decidir, então? Porquê comprar este e não outro produto ou serviço que até responde aos seus pain points?

Certamente enquanto consumidor, vai querer saber quem já usa o produto ou serviço e vai querer percecionar credibilidade nas pessoas/entidades que usam.

Já reparou na credibilidade que o Trip Advisor™ tem no mundo das viagens e que a Amazon™ tem em milhares de áreas de negócio?

E sabe porque é que toda a gente recorre a este tipo de websites? Porque estão repletos de testemunhos de consumidores reais que defendem ou criticam honestamente os produtos e serviços. Faça o mesmo!

social-proof.jpg

 

Na sua landing page, logo abaixo das vantagens do seu produto/serviço, coloque quem já usa a sua marca (sempre que possível recorra a clientes seus que sejam entidades credíveis no mercado ou influencers), e logo a seguir coloque um testemunho que seja, no seu entendimento enquanto consumidor, o mais real, credível, genuíno e que valorize o seu produto/serviço. Peça permissão para colocar a fotografia, o nome e o cargo (quando aplicável) da pessoa que deu o testemunho.


3ª regra: Conte uma história

O consumidor que entrou na sua landing page já sabe as vantagens do seu produto/serviço, já sabe quem o usa e o aprova. Boa!

Em seguida, o consumidor está pronto para saber mais pormenores. Conte uma história! Esta é a altura em que vai escrever para seduzir o consumidor.

Descreva o porquê de oferecerem ao mercado a solução, descreva um case-study, mostre um gráfico comparativo entre a sua solução e outras. Depois, apele à ação!


4ª regra: Crie urgência

A maior parte das compras individuais na internet são emocionais, feitas por impulso. No mercado empresarial as compras são mais racionais. Em ambas as situações queremos criar sentido de urgência no seu consumidor para que ele não tenha muito tempo para pensar, ir ver outras alternativas e esquecer-se da sua solução. Não! Queremos que ele se identifique com a sua marca, queira comprar ou saber mais sobre a sua solução e ter resposta imediata. Como? Criando urgência!

Ofereça algo que seja benéfico e valorizado pelo consumidor, e que só estará disponível por um curto período de tempo. 

Lembre-se, ofereça algo de valor para o seu consumidor, não algo que seja benéfico para si enquanto empresa. Foque-se nos pain points do seu consumidor.


5ª regra: Porquê mesmo este e não outros?

É normal que o seu consumidor resista à urgência que está a “impor” e queira realmente sentir-se seguro sobre a decisão que está prestes a tomar. Nada melhor que alargar a secção de testemunhos.

Apresente-lhe 3 ou mais testemunhos, novamente de pessoas ou entidades credíveis, suas clientes. E logo a seguir apele novamente à urgência.

Por fim sugerimos que procure mais informação sobre os melhores conteúdos a incluir numa landing page e informação sobre call-to-actions.

CONHEÇA AS SOLUÇÕES DE MARKETING DIGITAL DA MADE2WEB »